2.3.06

It's a Wonderful Life

Estar em Paris à noite, num café em Odéon, lembrando frases, momentos, idades, os sonhos que são presente e o tempo que é futuro, encostado à rua, vendo pequenos flocos de chuva deslizarem pelo ar, e finalmente sair e ver nevar intensamente pela primeira vez, agarrar a neve como se agarra o desejo, experimentar o seu sabor e deixá-lo derreter no calor, tudo cada vez mais branco, como se nos esquecessemos do que é impuro, do que já morreu, de tudo o que é feio, e por fim viver sob um primeiro nevão, é ser, por esse eterno momento que fica no (nosso) cinema, James Stewart a redescobrir a sua vida e a de todos no filme mais bonito de Capra. Tudo se torna simples e inspirador, como a sua cor, como um pequeno texto.

2 commentaires:

p.canha a dit…

sem palavras, pá!!!

Mafalda Azevedo a dit…

Sem palavras também... Verdadeiramente inspirador querido amigo.