14.6.06

Passageiro Frequente

Hoje, mais uma viagem Paris-Lisboa. Pela primeira vez desde o princípio deste ano, com uma média de 3 viagens por mês, o vôo estava a horas. O embarque foi feito exactamente na hora prevista. Fantástico. Eu sabia que alguma coisa teria que acontecer. Eis que olho para fora, tentando espreitar entre a luz e o calor do dia quente de Verão, para ver se o avião, de facto, já chegou. Não o vejo em lado nenhum. Está um calor tremedo. Uma pessoa vem a Paris, traz os miúdos, e ainda apanha com este calor. Isto parece Lisboa, não há direito. Olho para trás, e vejo que metade dos passageiros são crianças, tudo com t-shirts da Disneyland. De repente, vejo um autocarro do aeroporto chegar. Parece que vamos ter que ir de boleia até ao avião. Que chatice. Estou cheio de calor.
Já nos conseguimos todos enfiar nesta coisa. Então, não é aquele o nosso avião? Diz ali TAP pá. Para que é que ele está a dar esta volta toda? Querem ver que ele se vai enganar e ainda nos enfia todos para Bruxelas? Tantas voltas com o avião aqui à nossa frente. Este povo não sabe o que é ar condicionado. Num autocarro com um calor destes. Já estou a ficar todo suado. Estou a suar em bica. Então, não vai abrir as portas? Estamos aqui parados e este gajo não abre as portas. Isto é inacreditável. Nunca vi nada assim!
- Ai este calor!
- A miúda já está a chorare!
- Parece brincadera, estão a gozar connosque. Ai pá, estou farta de tar aqui. Fogo pá, a gente quer respirar. Vamos ficar aqui até as crianças desmaiarem todas.
- As crianças vão desmaiar!
- Se dissermos todos ao mesmo tempo para ele abrir as portas ele vai ter que abri-las.
- Já não se aguenta!
- Ouvrez les portes!
Eu e mais duas portuguesas obesas unimo-nos nos nossos Fosgasse e começamos a bater violentamente contra os vidros.
- VOU DESMAIAR!!
- NÃO SE AGUENTA!!
- EU FAÇO QUEIXA!! ESTAMOS A MORRER!!!
Há pessoas a sair. Não é possível. O cabrão do gajo só abriu a porta da frente.
- OUVREZ DERRIÈRE!!
- DERRIÈRE!!!
Pronto. Já se está a sair deste forno. Olho para o motorista insultuosamente. Imbecis pá, anda esta gente a ganhar dinheiro. Dentro do avião é a revolta.
- Se tivesse ali alguém levava com a minha fúria. Queixava-me logo.
- Com crianças e tudo. Isto é um crime contra os direitos da humanidade universal.
Um miúdo leva um estalo. Bem feito. Berrar com a gente preocupada. Agora não se cala. Mal educado. Se fosse meu filho havia de ser.
Mais calmos do escândalo, chegamos a Lisboa. Nuvens. Foda-se pá. Venho a Lisboa e tá pior que em Paris. Isto do clima já não é o que era. Alguém me diz que é da estufa. Tem que se acabar com a estufa que isto não pode ser. Andamos a votar naquela gente e é só crise. Já não se pode confiar em ninguém. Quero é chegar a casa e ver a bola, perdi o jogo. Não jogámos nada. Merda para a TAP.

11.6.06

F'estival Caixa 2006




Para festejar o dia de Portugal e de Camões, a Caixa Geral de Depositos e a Embaixada de Portugal fizeram uma aposta ambiciosa e trouxeram a Paris Clã, Da Weasel e Xutos & Pontapés, reunidos numa unica noite no Zénith de Paris. A comunidade portuguesa mobilizou-se e apareceu no Parc de La Villette para ouvir os grupos portugueses mais aclamados do momento.
A Festa de Portugal começou com Clã num Zénith ainda meio cheio.
Um publico que parecia pouco conhecedor de Manuela Azevedo e companhia cantou e saltou ao som de H2 Homem e Dançar na Corda Bamba entre outros sucessos do grupo português, que soube cativar a audiência. Manuela Azevedo é sem duvida uma fabulosa "performer", impressionando pelos saltos e passos de dança, pela sua voz invulgar e pela sua presença. O grupo soube também tirar partido de um muito bom jogo de luzes e de uma criteriosa escolha de musicas, alternando "hits" e musicas novas.



Seguiram-se os Da Weasel e o seu hip-hop com rasgos de reaggae. Claramente preferidos pelo publico mais jovem, Pacman e amigos souberam aquecer o ambiente na "festa da 'tuga" e puseram o publico a cantar um "Portugal!!Portugal!!" hà jogo de Selecçao.
O palco ficou enfim entregue aos miticos Xutos & Pontapés, com Tim envergando a camisola da Selecçao de todos nos. Um concerto algo morno, dominado por baladas interrompidas unicamente por uma frenética "Pra ti Maria". Mas Xutos sao sempre Xutos.



No final de contas uma grande festa, reunindo os maiores grupos de lingua portuguesa e proporcionando um cheirinho de Portugal à comunidade emigrante, que compareceu vestida a rigor, com bandeiras e camisolas de Portugal. É sempre de notar o patriotismo destes portugueses do estrangeiro: muitos nao falam sequer português. Os jornais e folhetos que nos foram distribuidos causariam arrepios a qualquer professora de português. No entanto, quando é preciso gritar por Portugal, nao ha garganta que aguente!!

Viva Portugal e Viva Camões!!

Guerras Presidenciais



O mundo politico francês agita-se ja ha alguns meses na antecipaçao das eleiçoes presidenciais de 2007 e os candidatos desfilam vindos de todas as familias politicas.
O PS jà conheceu dias melhores e encontra-se agora dividido por guerras fraticidas entre as suas principais figuras. Jacques Lang, Dominique Strauss-Kahn, Ségolène Royal e até François Hollande sao os "candidatos a candidato" dos socialistas, sendo que a Presidente da regiao de Poitou-Charentes é agora nitidamente favorita. À frente em todas as sondagens e bem amada da imprensa, Ségolène Royal parece agora querer atacar o terreno de Nicolas Sarkozy, tomando posiçao contra o seu proprio partido em questoes como a delinquência juvenil, a segurança e as 35 horas.
Do lado do UMP, as coisas parecem mais simples. Nicolas Sarkozy é cada vez mais o inevitavél candidato, tendo eliminado os seus concorrentes, nomeadamente o Primeiro-Ministro Dominique de Villepin, enfraquecido pela crise do CPE e pelo escândalo Clearstream.
Para além destas duas principais forças, esperam-se ainda os candidatos UDF (centro) e da extrema-esquerda(PCF e LCR), sendo que o eterno Jean-Marie Le Pen jà disse "presente", recusando ao mesmo tempo uma uniao com outro lider da extrema direita, Philippe de Villiers.
Nos proximos tempos toda a vida politica do pais gira em torno da eleiçao de março 2007. Aguardemos o desfecho.