23.11.06

Como o Duarte afirma no seu último texto, a França parece estar mergulhada num eterno dilema. Entre a liberalização e a protecção social, o seu modelo de Estado e a globalização ("la mondialisation", como se anuncia aqui). E se não forem as próximas eleições a tirá-la desse "problema", há de ser o tempo. Entre Sarkozy e Royal, as diferenças não são assim tantas. Ambos são mediáticos e carismáticos (apesar de um ser pouco mais alto que o Marques Mendes e a outra rigidamente descordenada a andar e às vezes a falar), ambos são populistas e querem "ouvir o povo", Sarkozy quer pôr tudo preso e Royal mostrou o desejo de criar "juízes populares" para avaliar os políticos (...), ambos se apresentam como candidatos da "ruptura", a que já é a palavra chave destas eleições. Mas se Sarkozy é de direita, a sua tentação populista pode fazê-lo desistir de um programa de liberalização da economia e da administração francesa, e levá-lo ao tal proteccionismo francês, apesar de já ter afirmado publicamente, e perante o seu partido, que a globalização era "inevitável". Por isso, julgo que tanto um como o outro podem-se mergulhar nas maiores das ilusões e promessas de campanha. Mas quando a França estiver totalmente à beira da ruptura (e sinais não têm faltado), restará apenas uma alternativa. E a assimilação dessa ideia e da sua urgência estender-se-à da direita à esquerda.

6 commentaires:

luis barroso a dit…

A divisao entre proteccao social e liberalizacao nao faz nenhum sentido. Da a ideia que uma coisa se encontra por oposicao a outra. Isso, a meu ver, e errado.
O problema da franca e que tem um MODELO de proteccao social que assenta em bases erradas e numa visao do mundo ultrapassada.
Sem querer falar excessivamente sobre mim, eu considero-me liberal do ponto de vista politico e economico, mas defendo um modelo de proteccao social que apoie as pessoas que facto precisam.
O problema da franca e que os politicos e a populacao em geral estao convencidos que uma maior liberalizacao economica vai resultar na desistencia de uma polititica social efectiva. Isso e um erro.

Duarte Valadas Roxo Juzarte Rolo a dit…
Ce commentaire a été supprimé par un administrateur du blog.
Duarte Valadas Roxo Juzarte Rolo a dit…

Estou plenamente de acordo com a tua analise Francisco. Também acho que a mudança vira com o tempo, mas com que consequências...?
Quanto ao comentario do Luis, queria apenas dizer que estes pequenos posts sao esquemas, nao sao estudos aprofundados da situaçao e que portanto nos vemos limitados a oposiçoes algo artificiais ("protecçao social e liberalizaçao..."). No entanto, seria interessante que nos desses a tua visao da coisa, visto que pareces ter outra ideia sobre o que seria um compromisso ou soluçao possivel. Seria com agrado que publicariamos (e aqui acho que posso falar pelo Francisco) um texto teu sobre este tema.
Abraço

luis barroso a dit…

Acho boa ideia. Eu mando isso ao francisco e voces poem no blog se quiserem.
um abraco
luis

Anonyme a dit…

pouco, ou melhor, absolutamente nada me interessa a politica francesa. Falem de gajas, de filmes, exposicoes, de pedintes, pegas, artistas de rua...De França nao me interessa os franceses...falem.m das vistas.. porra tou.m completemente nas tintas da proteccao social de franca...

Francisco Valente a dit…

bela crise que vai ai