28.6.07

Paris Calling


O entusiasmo crescente pela musica rock dos ultimos anos permitiu a nascença de uma cena rock (o universo musical francês sendo em grande parte dominado pelo Rap e Hip-Hop desde o principio dos anos noventa) com grupos como Les Plasticines, Naast ou The Parisians que despontou finalmente para o grande publico com a compilação Paris Calling.
Geração crescida a ouvir The Libertines e The Strokes, "les bébés rockers" como são chamados em França, revendicam-se de The Clash e The Kinks, da mais pura tradição rock'n roll de terras de sua majestade.
Querendo ser mais ingleses que os ingleses, os seus sotaques fazem muitas vezes rir e o seu look levado ao extremo é inconfundivél.
Ouvir da boca de meninos mimados parisienses dizer que se inspiram do punk e dos seventies vale pelo menos pela ousadia...Entretanto podemos sempre vibrar na Flèche d'Or, no Truskel ou no Tryptique com Loser, Shake Shake ou Tu Te Trompes. Será que é isto o rock caviar?

27.6.07

Paris, la nuit


Paris é mais Paris de noite. Com os seus timidos candeeiros pautando a alternância entre a luz e a escuridão dos "trottoirs" pretos, das ruas vazias, dos prédios haussmanianos, passear em certos bairros parisienses à noite é uma experiência de solidão muitas vezes impossivél na roda viva do dia a dia.
No silêncio unico, na monumental cidade nocturna, Paris transforma-se num filme a preto e branco, um clássico que - como qualquer clássico - nunca se perde.

22.6.07

Há festa na aldeia!














Dia 21 de junho, como todos os anos, participamos em mais uma Fête de la Musique, verdadeiro "bordel"programado.
Musica para os grandes, para os pequenos, musicas do mundo, bandas de tipos "cabeludões" - como dizia um brasileiro que estava connosco - aos berros, de betinhos a brincarem às rock stars, fanfarras e afins.
A palavra festa ganha todo o sentido nesta Fête de la Musique, onde os avós se cruzam com os netos, os pais dançam com os filhos, onde todos se tornaram amigos e se tratam por "tu" e bebem da mesma garrafa. Através, com e pela musica.


20.6.07

Regresso

Pois é, não estivemos propriamente muito activos ultimamente, não foi?
Paris não perdeu o interesse, não deixámos de viver novas experiências nem perdemos a vontade de escrever. O interregno poderias-se explicar por falta de disponibilidade, de assiduidade também ou talvez por muitas outras razões.
Não interessa, estamos de volta para um novo episodio das Cartas de Paris. E as novidades são muitas por terras gaulesas : Presidente novo, Primeiro-Ministro e Governo novos, Le Pen e Front National em vias de extinção, "équipe de France" nova (sem Zizou!)....Será este o começo de uma nova era, pós-Chirac?

Estaremos cá para o viver e relatar; pelo menos assim o espero,

Duarte